shiiiu… O filme vai começar!

Olá galera, sentiram minha falta? É claro que sim né (mentira)

Durante minhas férias da faculdade (que estão mais longas do que eu realmente gostaria), tenho ido muito ao cinema. Aliás, ótimos filmes estão em cartaz, alguns me surpreenderam. Mas não estou aqui para falar deles. O assunto de hoje é sobre as situações que acontecem no cinema, que as vezes são engraçadas e outras vezes são irritantes.

Para começar, sempre tem um grupo de engraçadinhos que sentam nas poltronas erradas. Aí a pessoa que pagou pelo lugar chega e fica todo mundo com cara de Babobi (ainda estou empolgada com Transformers 4), sem contar de todo transtorno e constrangimento de mudança. O pior é que os bilhetes já tem o numero da fila e do lugar que nós mesmos escolhemos. NÓS MESMOS ESCOLHEMOS. Então pare com essa preguiça e vá procurar seu lugar.

Depois desse inconveniente inicial, o filme começa. Nos primeiros 10 minutos só se ouve barulho de plástico, latinhas de refrigerante sendo abertas e pessoas atrasadas entrando. Quando tudo parece normal, alguém da sua fileira resolve brincar de entra e sai, pisando toda vez no seu pé. Ah, se você está solteiro (encalhado), carente, sem pegar nem resfriado, do seu lado vai ter sempre (SEMPRE) um casal fogoso, que não está nem ai para o filme e só quer saber de saliências e tudo mais (pior ainda se for sua irmã mais nova com o namorado. Aí é pedir para morrer)

O filme continua e, de vez em quando, alguma mulher da fila de trás bate com a bolsa na sua cabeça (tipo umas 2745 vezes). Dá vontade de fazer a pessoa engolir a bolsa inteirinha, sem nem um copinho de água para ajudar. Falando em pessoas chatas, tem o cara que deixa o celular no alto, que faz questão de tocar e roubar toda a atenção do filme. Alguns olham em volta para procurar quem foi o abençoado que não desligou o telefone, outros vão olhar se não era o deles que estava tocando. Por fim tem os que, por via das dúvidas, vão dar uma conferida básica, só para ver se está mesmo no silencioso (ninguém quer pagar mico).

Por falar em celular, alguém me explica porque alguns “lindos” pagam para assistir o filme e, ao contrário disso, ficam o tempo todo fuçando no celular, com o brilho no máximo? Sinceramente não entendo. Enfim, cada um com suas manias, desde que não me atrapalhe. Na boa, para você que fica com esse celular com o brilho no máximo no cinema, queimando meus olhos, desejo que você quebre uma unha.

Apesar de tudo, eu gosto de ir ao cinema. É bem melhor e mais emocionante que assistir em casa (sozinho, com 27 gatos). Como qualquer lugar coletivo, tem pontos positivos e negativos, mas no fim vale a pena, principalmente se o filme for TOP. Bom, pelo menos rende textos para um certo blog.

Por hoje é só people, fiquem com Alá e até a próxima

PS: Não queimem a retina dos coleguinhas do cinema. Se você faz isso, eu REALMENTE desejo que você quebre uma unha. Palavra de Astigmática (nem sei se é assim que fala, mas, enfim).

Três beijos, Débora Carvalho